destravando

Às vezes é preciso destravar portas,

Abrir todas as janelas,

deixar o vento entrar,

Destravar os cintos da insegurança

E decolar para assistir a terra de luneta,

Comer pipoca sentado na lua,

Escorregar pelas pontas das estrelas,

Dançar no ventre das nuvens,

Sonhar em outros planetas…

E dar as risadas com os cometas…

 Às vezes é preciso ficar só…

Com um papel e uma caneta

para colorir o coração…

E colocar mais alegria no viver 

E se encantar com a felicidade

E não se esquecer dos sonhos!

(Desconheço a Autoria) 

Compartilhe este post com seus amigos:
Compartilhar esta página via Facebook Compartilhar esta página via Twitter